Restaurante Tantra e o famoso Mongolian Grill

Quanto você pagaria para fazer sua própria comida e correr o risco de estragar tudo? No restaurante Tantra eles tem nome e preço  para essa experiência: chama-se Mongolian Grill e custa cerca de R$ 80,00 por pessoa durante o jantar.

O Tantra é um restaurante asiático, especializado em pratos típicos da Mongólia e Tailândia, e faz sucesso ao oferecer um ambiente temático, shows e o citado Mongolian Grill.

Logo na entrada, você já entende o porquê de 9 em cada 10 avaliações do lugar citarem a palavra exótico: luz baixa, muitos bambus, madeira, tijolos aparentes, tecidos, velas, quadros, narguilés, música esquisita ao fundo... A típica decoração temática que enche os olhos e traz a palavra "exótico" ao nosso primeiro pensamento.

Restaurante Tantra e o famoso Mongolian Grill

Avançando para o salão principal nos deparamos com uma grande chapa coberta por uma igualmente grande coifa (para garantir que ninguém saia defumado do local).

Em três bufês ao lado dessa chapa repousam carnes, aves, pescados, frutos do mar, vegetais, molhos e dezenas de temperos.

Mesas e cadeiras seguem o padrão temático do restaurante. Você pode se sentar próximo a grande chapa ou mais afastado dela, numa área externa. Na noite de quarta feira em que fui a casa estava bem vazia e era possível escolher um bom lugar sem maiores problemas.

Sem mais demora, vamos nos sentar que a dita experiência mongol vai começar.

Restaurante Tantra e o famoso Mongolian Grill

O Tantra oferece duas propostas gastronômicas aos clientes. A primeira são os tradicionais pratos à la carte, com opções que remetem a culinária asiática e abusam das combinações de diferentes temperos (e é claro que todos os itens do cardápio tem nomes exóticos e muitos se dizem afrodisíacos). Nessa cardápio à la carte você encontra saladas, pratos quentes e petiscos asiáticos. A segunda proposta é o famoso Mongolian Grill, que "convida" o cliente a montar seu próprio prato (no caso, uma cumbuca) e "descobrir" os sabores da culinária mongol. Essa segunda, claro, é a opção escolhida pela maioria dos clientes do restaurante (e o que me motivou a ir até lá).

Mas afinal, o que é o Mongolian Grill?

Restaurante Tantra e o famoso Mongolian Grill

Esse carro chefe da casa resumidamente funciona da seguinte forma: você pega uma cumbuca e se serve da maneira que achar mais conveniente em cada um dos bufês. No primeiro bufê estão as carnes, aves e pescados. No segundo estão os vegetais, frutos do mar, molhos e outros complementos. E por fim no terceiro bufê estão os temperos, ervas e condimentos. Quando você termina de fazer sua cumbuca deve se dirigir a grande chapa para que o chapeiro mexa e remexa sua comida e lhe entregue tudo cozido e quentinho para você provar. A responsabilidade pelo sabor é toda sua. Lindo não?

Restaurante Tantra e o famoso Mongolian Grill

O preço e as condições da brincadeira são diferentes no almoço e no jantar. No almoço custa cerca de R$ 35,00 e você pode consumir até duas cumbucas (a quantidade de comida que você pode pegar é limitada pelo quanto cabe na cumbuca). Já no jantar custa quase R$ 80,00, mas você pode fazer quantas cumbucas quiser. Ou seja, apesar de caro, o jantar permite que você experimente muito mais.

E o que tem para comer nesse Mongolian Grill?

Restaurante Tantra e o famoso Mongolian Grill

As opções no primeiro bufê são as proteínas: frango, contra filé, javalí (porco), salmão e tubarão (cação). No bufê dos complementos têm vários vegetais, frutas, frutos do mar (lula, polvo e camarão) e diversos molhos (vinho branco, caldos, molho de ostra... a indicação é para usar no mínimo duas conchas de molho para que a comida não fique seca). E no terceiro bufê você encontra dezenas de especiarias, ervas e condimentos para temperar sua comida. A escolha e as misturas são livres, mas exigem alguma parcimônia e entendimento dos ingredientes para melhor aproveitar a experiência.

Restaurante Tantra e o famoso Mongolian Grill

Restaurante Tantra e o famoso Mongolian Grill

Para ajudar a preparar um prato exótico, placas na parece indicam algumas receitas. A própria casa sugere que você não exagere na quantidade, para poder provar mais receitas (e diminuir o desperdício no caso de erro).

Vale dizer que na mesa o garçom serve arroz temperado e salada para acompanhar.

Restaurante Tantra e o famoso Mongolian Grill

Finalizada sua cumbuca vem a parte já citada: você entrega ela para um chapeiro que vai mexer, remexer, picar e destroçar sua comida afim de cozinhar todos os ingredientes e esquentá-los. Cerca de cinco minutos depois ele devolve sua obra de arte para você provar.

Para mim, essa é a pior parte da experiência (sim, muito pior do que você ter que bancar o cozinheiro e montar seu próprio prato). Primeiro porque o chapeiro literalmente destroça a sua comida: ele pica tudo e deixa aquela coisa linda que você montou com cara de gororoba esquecida na geladeira (se não acredita, veja as fotos e me diga se o que está nas cumbucas parece apetitoso). Segundo porque com o movimento no restaurante formasse uma fila enorme para entregar a bendita cumbuca ao chapeiro. Mesmo eu indo numa quarta feira de pouco movimento, tive que ficar cerca de dez minutos em pé na fila da chapa para poder esquentar minha comida (e relatos dizem que quando o movimento é grande esse tempo chega fácil a trinta minutos na fila).

Restaurante Tantra e o famoso Mongolian Grill

Sobre o sabor da comida, depois de tanta mistura e remexo, uma simples conclusão: não há harmonia e ao mesmo tempo não há contrastes. 

Não importa quais combinações de ingredientes você faça, os sabores ficam misturados e o máximo que você consegue é que o ingrediente com sabor mais forte se destaque. Além disso, o mesmo método de cocção para todos os preparos deixa tudo que você colocou na cumbuca muito parecido em sabor e textura. Não chega a ser ruim, mas está longe de ser delicioso.

Cinco ou seis cumbucas depois, você não estará com fome, mas ficará com aquele vazio à espera de algo realmente gostoso.

Restaurante Tantra e o famoso Mongolian Grill

No cardápio de bebidas, mais nomes sugestivos e ditos afrodisíacos, como "kama sutra" e "orgasmo", alguns chás, sucos, drinks alcoólicos, cervejas e uma bebida "típica" da ásia, o Lassi - uma bebida a base de iogurte e frutas. Nada que se destaque.

Para finalizar o oba-oba o restaurante promove em alguns dias no jantar shows de dança com espadas e cobra, massagens com técnicas orientais, consulta com cartas de tarô, pirofagia e outros espetáculos que deixam claro que o objetivo da casa não é a boa gastronomia, mas sim o entretenimento.

Restaurante Tantra e o famoso Mongolian Grill

Balanço geral: o Mongolian Grill do Tantra vale a pena?

Se o seu objetivo é se divertir, brincar de cozinheiro e conhecer novos temperos, vale a pena sim. O Tantra realmente oferece uma experiência diferente e, por que não, exótica.

Agora se você vai até lá pensando em comer bem, pode esquecer. O Tantra não oferece uma boa opção nem mesmo no seu cardápio à la carte, quem dirá quando entrega a responsabilidade do preparo do prato para seus clientes.

O objetivo do Tantra para mim é bem claro: entretenimento. Se você quer comer bem, procure outro lugar.

Restaurante Tantra e o famoso Mongolian Grill

Eu visitei a unidade da Vila Olímpia (a primeira a ser fundada), mas atualmente o restaurante conta com cinco unidades, você pode conferir os endereços e telefones no site da rede.

Informação

Tantra Restaurante (unidade Vila Olímpia)

Rua Chilon, 364 - Vila Olímpia - São Paulo (próximo a estação Vila Olímpia da CPTM)
Telefone: (11) 3846-7112

→ DESCUBRA OUTROS LUGARES EM SÃO PAULO

→ DESCUBRA OUTROS RESTAURANTES

→ Você gosta de economizar? Clique aqui e compre com desconto nas Lojas Americanas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário