Calle Museo Caminito e Estádio La Bombonera

O Caminito é o tipo de lugar que não gera meio termos: ou você o ama, ou você o odeia. Eu sou do grupo dos que odeiam.

Para mim, é só uma ruela colorida na periferia de Buenos Aires. Só para mim, claro. Ele está em quase todos os pacotes de viagens e fotos de revista. É um dos cartões postais da cidade e o mais popular ponto de Buenos Aires. Mas apenas entre os turistas, não espere ver muitos visitantes locais por ali.

Caminito e Estádio La Bombonera

O Calle Museo Caminito (como é oficialmente chamado) fica em La Boca, um bairro portuário nada turístico, que tem essa ruela com obras de arte como a principal atração. O bairro é um dos mais pobres de Buenos Aires, muitas casas são construídas com chapas de aço e não tem a arborização e beleza dos outros bairros argentinos. É um contraste enorme, por exemplo, com o rico bairro Recoleta. No mínimo, isto nos faz refletir sobre a desigualdade social, que certamente está presente em qualquer nação do mundo.

Caminito e Estádio La Bombonera

A história do local é bonita. 

Ali era a rua por onde passava o bonde portuário até a década de 1920. Uma vez cessada a operação, a via se converteu num caminho natural, conhecida no bairro como La Curva, que foi deteriorando-se como depósito de lixo.

Caminito e Estádio La Bombonera

Em 1950, um grupo de vizinhos, entre os quais se encontrava o conhecido pintor boquense Benito Quinquela Martín, decidiram recuperar o lugar. Limparam a rua e coloriram as casas com cores vivas e brilhantes. Em 1959, na iniciativa de Quinquela, o governo municipal construiu ali uma rua museu, expondo obras importantes a céu aberto.

E o Caminito deve o seu nome a um famoso tango, composto em 1926 por Juan de Dios Filiberto.

Então, da década de 60 em diante, a rua tornou-se o que é hoje. Devido a seu valor cultural, as casas estão subsidiadas pelo Estado, o qual permite garantir a manutenção da pintura, o qual os escassos recursos dos moradores do bairro não poderiam realizar.

A história certamente é bem mais interessante do que a atração.

Apesar de eu não gostar, não há como negar que o Caminito é um importante centro cultural e turístico. Ao longo da rua, diversas obras de arte de grande importância são expostas e contam um pouco da história da cidade, dos trabalhadores e do tango.

É possível chegar ao Caminito somente de ônibus ou táxi, já que o bairro de La Boca não é servido de metrô.

Assim que você chega, entra no maior pega turista que já vi na vida. São sósias do Maradona e tangueiros duvidosos que lhe abordam aos montes para tirar a tradicional foto com os portenhos e as casinhas ao fundo. Tudo pago, é claro.

Caminito e Estádio La Bombonera

Caminito e Estádio La Bombonera

Lá está a maior parte das lojas de lembrancinhas da cidade, além dos vários vendedores que expõe muitos produtos nas ruas.

Acho que é ai que mora o problema. A beleza do lugar e das obras de arte do museu aberto perdem-se em meio a tanto comércio. É muita gente lhe abordando querendo ganhar algum trocado. Você não consegue ficar cinco minutos parado que já chega alguém lhe cutucando.

A ideia de Benedito para criar um museu aberto é louvável, mas me parece que ela não resistiu ao comércio e não revitalizou o bairro como um todo. La Boca é um bairro violento. Andando pelas outras ruas do bairro você só encontra casas simples e moradores, nada além disso.

Fiquei quinze minutos andando pelo Caminito e resolvi ir embora, não tem nada demais para ser visto que leve muito mais tempo que isso.

E já que eu estava em La Boca, resolvi seguir adiante e visitar a outra grande atração do bairro, o Estádio La Bombonera, do Boca Júniors. Ele fica 400 metros do Caminito. É só pegar uma rua reta e andar até o estádio. E mesmo sendo bem simples chegar a pé do Caminito para ali, vi muita gente entrando num táxi para andar estes 400 metros. Um absurdo! Ok gente, La Boca não é o lugar mais seguro de Buenos Aires, é um bairro feio e marginalizado. Mas tem gente muito neurótica. De dia, com os policiais bem visíveis, numa caminhada de 5 minutos por uma rua reta, o que pode acontecer? (E claro, que pessoas espertas e vivas, deixam a câmera digital escondida, a bolsa na hospedagem e o dinheiro no porta-money).

Caminito e Estádio La Bombonera

O estádio é muito bem sinalizado, chegar ao museu e comprar o ingresso é bem fácil. A visita apenas ao museu custa 60 pesos e a visita guiada por todo o estádio custa 70 pesos. Definitivamente, não vale a pena ver apenas o museu.

A visita guiada tem início no acesso dos jogadores ao gramado. Durante 40 minutos, uma guia muito simpática conta a história do clube, do estádio e do Maradona! Percorremos vários setores das arquibancadas e do estádio. A todo momento fazemos paradas em que a guia explica particularidades e curiosidades do local. A guia até tenta contagiar a todos com a "paixão boquense" e não perde a chance de fazer piadas com os times brasileiros.

Caminito e Estádio La Bombonera

Infelizmente, a visita é guiada apenas em espanhol e inglês, mas isto não chega a ser um problema.

Caminito e Estádio La Bombonera


A visita termina no museu do clube, com os troféus, algumas estátuas, quadros e os principais fatos da história do time e dos jogadores contados em telões.

Há uma loja lá dentro (sempre há!) em que vários produtos do time são vendidos, desde camisetas oficiais até vinho do Boca Júniors!

Para os amantes do futebol, visitar o estádio La Bombonera é um passeio obrigatório. E mesmo quem não gosta tanto do esporte, vai se entreter com a história do time centenário de Buenos Aires.

Concluindo, La Boca não é um bairro bonito e o Caminito divide opiniões, mas é como o Cristo Redentor no Rio de Janeiro: você tem ir lá ao menos uma vez na vida e ver com seus próprios olhos como ele é lá de cima. Mesmo estando na dúvida, visite o Caminito e tire suas conclusões.

Informação

Calle Museo Caminito
Esquina da Av. Don Pedro de Mendoza e calle Magallanes

Estádio Alberto J. Armando (La Bombonera)
Calle Brandsen, 805

O bairro de La Boca é servido pelas linhas 25, 29, 33, 64 e 152 de ônibus. Um táxi do centro até o bairro custa em média 45 pesos.

→ SAIBA MAIS SOBRE BUENOS AIRES

→ Você gosta de economizar? Clique aqui e compre com desconto nas Lojas Americanas!

4 comentários:

  1. Gostei muito do seu relato... Não me esqueço quando visitei o Caminito, e um guarda local me abortou e falou: "Por ali no, peligroso". Fiquei bem assustada com isso. Achei o local bem sem graça, os dançarinos de tango bem esquisitos, o que compensou foi comprar as lembrancinhas por menos da metade do preço em relação as lojas do aeroporto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também aproveitei o Caminito só pra comprar todas as lembrancinhas que queria rsrsrs... Acho que esta é a melhor coisa do Caminito rsrsrsrs...

      Excluir
  2. tipicamente ridículo... então não precisamos ir a Paris pra ver a torre, ou Londres com seu Big Ben, ou Roma e seu coliseu...
    são spots turísticos que nos levam a conhecer cidades e a partir deles, esmiuça-las

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não disse que não devemos visitá-lo, inclusive se você leu todo o texto, eu disse justamente o contrário. Minha opinião é que não há nada demais no Caminito e há lugares melhores para visitar em Buenos Aires. E como eu disse, há os que amam e os que odeiam o Caminito. Eu não gostei, simples assim. É só minha opinião.

      Excluir