10 coisas que você precisa saber sobre os restaurantes na Argentina

O cardápio está em espanhol

Óbvio né? Bom, pode parecer ingenuidade ou estupidez minha, mas eu esperava que meu portunhol desse conta para entender o menu. Mas não deu.

Chegar em um restaurante, receber o menu e não entender metade do que está escrito dá medo. É claro, uma coisita aqui, outra ali, até dá pra entender. Papas, bife de chorizo, ensaladas...

Mas a coisa aperta quando tentamos imaginar que tipo de corte é o "asado" ou o "colita de cuadril". Pollo é frango? E porco é o quê?


Ou seja, ou você se prepara ou se arrisca. Saber o básico de espanhol para entender o cardápio vai lhe ajudar a escolher o que comer sem medo de errar.

Se não souber nada, vá, mas não faça cara feia na hora de comer!


O cubierto

O cubierto é uma taxa cobrada na maioria dos restaurantes. Essa taxa custa entre 5 e 30 pesos por pessoa! E você tem que pagá-la!

Cubierto, em português, quer dizer talher.

O cubierto é a cobrança do serviço de mesa. Ou seja, você paga para usar os talheres, pratos e guardanapos. Não pense que o cubierto vai para o garçom. Ele é usado para repor itens que quebram no restaurante. E é você que paga! Lógica nenhuma né!?

Muitos acreditam que o cubierto é a cestinha de pães e manteiga que eles trazem assim que sentamos a mesa. Não é! Você pode recusar os pães ou não comer nada, será cobrado do mesmo jeito.

Tentar discutir para que você não pague não vai adiantar em nada e só lhe trará dor de cabeça. E apesar de não ser o ideal, muitos acabam não pagando a taxa do garçom (mesmo quando este merece) como forma de descontar esta taxa do cubierto.

Você pode tentar evitar ir a restaurantes que cobrem cubierto. Redes americanas e restaurantes mais simples geralmente não cobram. Mas já aviso que você ficará muito limitado nas opções e perderá muito tempo procurando. Não vale a pena o esforço.

Ou seja, o cubierto não é o equivalente ao nosso couvert e nem a gorjeta pelo serviço do garçom, ele é uma taxa injusta mas que tem de ser paga. Muitos na Argentina são contra está cobrança, mas como os restaurantes lucram muito com ela, poucos estão dispostos a retirá-la.

Os restaurantes em Buenos Aires são baratos, mas saiba que aquela placa de "Parrilla com vino para dos por 150 pesos" esconde a triste verdade que a conta ficará bem mais do que isso, graças ao cubierto.


Restaurantes em shoppings

A comida nos shoppings (e em qualquer praça de alimentação, como a dos aeroportos) é servida em pratos descartáveis e com talheres descartáveis também! Um horror! Se quiser talheres de aço tem de pagar um valor que será devolvido após você entregar os talheres.

E os preços são iguais aos bons restaurantes da cidade. Se puder, evite comer nos shoppings, não é uma experiência legal.


Restaurantes perto de atrações são mais caros

Outra informação óbvia, mas que ás vezes esquecemos. Sair de algum museu, do Cemitério da Recoleta, da Praça de Maio ou outra atração de Buenos Aires e ir comer em um restaurante logo ali na frente pode ser um mau negócio.

Experiência própria: sai do Cemitério da  Recoleta e fui comer em um restaurante em frente a ele. O chopp Quilmes custou 40 pesos. Um pouco adiante em outro restaurante, quando o cemitério já não estava mais à vista, dois chopps Quilmes custavam 35 pesos!

Restaurantes perto de atrações geralmente são mais caros, seja na comida ou na bebida. E nem sempre a qualidade condiz com o preço.

Prefira seguir uns dois quarteirões a frente das atrações e estudar mais as opções. Certamente você se dará melhor.


O atendimento

Você entra no restaurante, mal recebe um olá de algum garçom, senta na mesa e espera. Ás vezes pouco, ás vezes muito, mas sempre espera.

Não conte em ser bem atendido na Argentina. Há exceções, claro! Mas a regra geral é que os garçons demoram para lhe trazer o cardápio, não tem paciência nenhuma em lhe explicar algo, demoram para voltar e tomar nota do pedido e seu prato demora para chegar.

Paciência é a chave para ser feliz.

E não se intimide com as caras fechadas, é normal.


Reservas e lugares cheios

A hora do almoço é sempre tranquila. Raramente um restaurante estará tão cheio no almoço que não terá um lugar para você sentar. Já na janta...

Os restaurantes lotam nos jantares e é bom você ter uma reserva. Vá um dia e faça sua reserva para o dia seguinte. Simples assim.

Se não fizer reserva, pelo menos chegue cedo. Note que as pessoas na Argentina costumam jantar após as nove da noite. Então chegar as oito é uma boa ideia se quiser garantir seu lugar mesmo sem reserva.

E não espere que as pessoas comam, levantem-se e vão embora. Mesmo que tenha fila de espera na porta ninguém se apressa. É costume por lá as pessoas aproveitarem o lugar, o ambiente, a comida, o vinho, o café, a companhia, a conversa... Elas chegam a passar horas sentadas apenas tomando um café. Portanto, fica a dica, se as mesas estiverem ocupadas mesmo que ninguém esteja consumindo nada, saiba que elas podem ficar ocupadas por bastante tempo. Ao invés de esperar um lugar desocupar, é melhor escolher outro restaurante ou voltar depois.

E quando você estiver ocupando uma mesa, faça o mesmo, não se apresse. Aproveite a companhia, a conversa, o ambiente, o café...


Os vinhos

Praticamente todo restaurante vende vinho e todo vinho é de qualidade.

Pode pedir sem medo. Todos são ótimos e bem mais baratos que no Brasil. Mesmo que você não entenda nada sobre vinhos e peça a garrafa mais barata da casa, não vai se dar mal.

E se você der sorte e o garçom for um pouquinho simpático, ele pode lhe indicar uma boa garrafa para o momento.

Só cuidado com a água e o cafezinho. Acredite, eles custam mais do que a garrafa de vinho.


A parrilla

Churrasco e restaurante argentino são praticamente sinônimos. Quase todos servem parrilla. E com batatas!

Só não se esqueça que qualquer carne "ao ponto deles" chega sangrando no prato, quase viva. E não espere uma carne bem temperada, eles mal colocam sal nela. Abuse do chimichurri.

E cuidado com os cortes da carne! Eles são totalmente diferentes do Brasil. Tente pedir ajuda para escolher, ou seu bife pode vir de coxão duro.

Confesso que não gostei nem um pouco do churrasco argentino. Cru, sem tempero e carnes duras. Me dei mal em quase todos os restaurantes. Espero que você tenha mais sorte.


Choripan e empanadas

O choripan é quase a nossa versão para o cachorro quente. E é simplesmente uma linguiça temperada no meio do pão. E não poderia ser melhor. Ás vezes servidos com algum molhinho, são deliciosos e não custam caro. A propósito fuja dos lugares que cobram mais de 20 pesos em um choripan. O choripan é comida de rua, de restaurante simples ou de barraquinha na esquina.


Já as empanadas são o nosso pastel, só que vão muito além dele. Uma massa sequinha, assada e bem recheada, elas são servidas como aperitivo, entrada e até prato principal. Igual ao nosso pastel, tem os mais diversos recheios: frango, queijo, pizza, carne, escarola... São baratas e saborosas. Experimente várias.


Gorjetas

A gorjeta não vem inclusa na conta, mas não se engane, ela será cobrada. Alguns garçons farão isso sutilmente e outros praticamente lhe obrigarão a pagá-la.

Vamos lá. A gorjeta não é obrigatória, não vem inclusa na conta, não pode ser paga no débito ou crédito e não há uma porcentagem estabelecida para ela.

Você deve pagar a gorjeta diretamente ao garçom ou deixá-la sobre a mesa em dinheiro. Pode até entregar junto com a conta, se está também for paga em dinheiro.

Já quanto ao valor, seja justo. Pague a nossa base de 10% sobre o valor da conta para os serviços bem prestados pelo profissional. E não hesite e não se intimide em não pagar nada, pagar 5% ou apenas 10 pesos se o atendimento do garçom não foi satisfatório.

Gorjetas não são obrigatórias, são um bônus por serviços bem prestados.


Buen apetito!

→ SAIBA MAIS SOBRE BUENOS AIRES

→ Você gosta de economizar? Clique aqui e compre com desconto nas Lojas Americanas!

23 comentários:

  1. caracaaa vey eu achei simplismente o q eu queria para uma pesquisa!!! parabens muito obrigado, me ajudou muito mesmo!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Na boa, teve boas sacadas, mas cometeu 3 erros crassos...
    Criticou a instituição ASADO, é o jeito deles, assim como odeiam nossos infames corações de galinha.
    Indicou redes americanas num lugar que tem mais opções latinoamericanas que São Paulo, sabe que é Arepa? Cuy? Porotos granados?
    Por último, o estereótipo brasileiro sobre garçon de qualquer nacionalidade. Atendimento de um cabra com chapeuzinho cantando baião está bom pra você?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Bom dia! Na verdade, só reforçando sua opinião:

      Eu não critiquei o ASADO, critiquei minha própria ignorância de não saber o que é o ASADO e outros cortes. Como disse, eu teria sido mais feliz se soubesse destas particularidades do idioma.

      Concordo plenamente em relação as redes americanas. Tanto que não indiquei nenhuma, fiz só a ressalva que as redes americanas não cobram cubierto. Sou muito mais ir aos restaurantes portenhos, aos regionais de verdade. O único americano que fui foi o Hard Rock Café, pois nunca tinha ido a nenhuma unidade da rede.

      E o atendimento achei muito ruim mesmo. Não queria nenhum chapéuzinho não. Queria ser bem atendido e não fui. E percebi que isso acontece com todas as pessoas por lá, turistas ou não. O atendimento é muito lerdo e pouco simpático. E quando digo simpático quero dizer um simples boa tarde quando chego. Nem isso! E em um restaurante que fui o garçom falava ao celular e comia um iogurte num canto, em pleno horário de janta. Achei muito descaso.

      Excluir
  3. E o que é Asado afinal? to curiosa...tem alguma carne que seja mais macia e q vc recomende?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo que eu entendi (e comi), o asado é um corte que lembra a nossa costela, só que bem mais duro. Se alguém souber melhor por favor me explique.

      Eu gostei muito da colita de cuadril, que eles dizem ser a nossa picanha e do lomo, que eu não sei que parte do boi é, mas é muito macia!

      Excluir
  4. Estive em julho2013 e concordo, que o atendimento é irregular, que a carne é sem sal, que o garçom cobra a gorjeta...mesmo no cartão... Não tem campari antes do almoço ou jantar...e a cerveja é só quilmes. Mesmo assim tive o prazer de comer um cabrito assado (que ficava na vitrine) que era uma delicia...Com os temperos ficam no ponto em que desejamos...Almocei no Porto Madero em um restaurante muito caro, mas foi onde eu apreciei as melhores carnes( pouco sal).Almocei no camenito, muito divertido e assado em tiras de primeira, com direito a show de tango e dança...maravilha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hummmm... fiquei com vontade deste cabrito.... rsrsrsrs... Realmente nenhuma carne parece ter sal. Não sei se somos nós brasileiros que estamos acostumados com carne muito salgada ou se o problema são eles...

      A Quilmes deve sustentar o país rsrsrsrs... tem preferência em todo lugar. Mas eu encontrei algumas outras, como a Isenbeck e a Patagonia.

      Excluir
  5. Gabriel onde você se hospedou? Indica algum lugar legal? To pensando em comprar pela Decolar, como comprou seu hotel? Como é a internet por lá? Como foi na entrada do pais, só exigem a identidade mesmo? Desde já agradeço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi tudo bem? Me hospedei no bairro de San Telmo, no Axel Hotel. Ambiente bem legal, atendimento também, quartos muito limpos e com design único... É um hotel boutique muito legal. Mas pesquise o que mais lhe agrada.

      Recomendo antes escolher o bairro que você quer ficar em Buenos Aires. Por lá os bairros são bem definidos. Os que eu recomendo são:

      San Telmo: é um bairro antigo, charmoso e clássico. Perto de tudo. Perfeito para quem gosta de ruas tranquilas e bares intimistas.

      Recoleta: um bairro rico, arborizado e bem estruturado. Tem várias lojas, restaurantes. É o bairro mais caro para ficar, mas certamente um lugar que agradará a todos sempre.

      E há outros, Puerto Madero, Palermo, Retiro, Centro... Pesquise para definir seu bairro. Só não recomendo o centro. Ele morre a noite e não tem muita coisa legal pra fazer por lá.

      Eu fechei a parte. A passagem pela TAM e o hotel pelo booking. Sempre faço isso, acho mais barato pois não há lucro de intermediários.

      A internet no hotel funcionou muito bem. E em vários bares e restaurantes tem wi-fi, é só pedir a senha que lhe passam sem problemas.

      Pra entrar pedem somente o RG (com até dez anos de expedição) ou o passaporte. Ás vezes pedem o hotel que você irá ficar, por isso tenha a reserva impressa em mãos. De mais não há grande dificuldade para entrar na Argentina.

      Espero que eu tenha ajudado, qualquer coisa é só perguntar.

      Excluir
    2. Gabriel,

      Obrigada pelos esclarecimentos, você me ajudou muito, não só a mim mas outras pessoas que frequentam seu blog.

      Legal você ter comprado pelo Booking, pesquisei alguns hoteis lá mas achei muito barato fiquei com o pé atrás. Quando eu entro pelo Booking eles me dão um preço final (somatorio de todas as diárias) mas sempre tem uma observação "ISS NÃO INCLUSO 21%" você pagou essa taxa no hotel? ou veio no seu cartão de credito? Existe mais alguma taxa adicional quando chega no hotel? #MEDO rsrs

      Obrigada mais uma vez. =)

      Excluir
    3. Realmente os impostos não estão inclusos no preço do booking e devem ser pagos diretamente ao hotel. Fique atenta a isto, sempre calcule o total levando em conta os impostos. A maioria dos hotéis aceita cartão de crédito, mas é mais vantajoso fazer o pagamento em pesos, consulte este post sobre o dinheiro em Buenos Aires que eu fiz: http://www.guardanapodepapel.com/2013/08/que-moeda-eu-levo-para-buenos-aires.html

      Não há nenhuma taxa adicional além destes impostos que já são indicadas.

      Excluir
  6. nesse site tem alguns cortes de carne!!
    http://www.buenosairesparachicas.com/2012/09/carne-argentina-o-mapa-do-boi.html

    ResponderExcluir
  7. olá Gabriel pretendo ir no final do ano para buenos aires em lua de mel, gostei muito do Axel Hotel mas notei que é um hotel para Gays, não tenho nada contra homosexuais, mas poderia não ser muito propicio ir em lua de mel para lá sendo Hetero, vc notou se há alguma diferença ? ou o Hotel não faz essa distinçao? abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! O hotel não faz distinção nenhuma e o ambiente é bem bacana. O box do chuveiro nos quartos é todo feito de vidro (sim!), de qualquer parte do quarto se vê quem toma banho. É bem bacana para casais, mas alguns podem achar falta de privacidade... Vai de cada pessoa. Eu gostei do estilo, da decoração e do ambiente. A propósito o hotel todo é feito de vidro e cimento cru. Um estilo bem diferente.

      Agora quer um outro hotel boutique em San Telmo excelente? Veja este aqui: http://www.booking.com/hotel/ar/bohemia-buenos-aires-boutique.pt.html

      Bohemia Buenos Aires Hotel Boutique. Ele tem um custo / benefício muito bom e parece ser bem bonito. Passava em frente todos os dias. Ele está um quarteirão de distância do Axel. Numa rua de paralelipípedos perto de ótimos cafés, restaurantes e do melhor que tem em San Telmo. Acho que pode ser uma ótima escolha também.

      Excluir
  8. Perdi tempo e dinheiro indo pra Argentina...viva o Brasil!!!
    Argenina nunca mais!!!

    ResponderExcluir
  9. Buenos Aires=Povo mal educado que juram ser europeus, moeda super desvalorizada que male male consegues tomar um cafe da manha digno com 100 pesos, comida cara com péssimo atendimento, infraestrutura horrorosa, taxistas desonestos, durante os passeios te cobram até para tirar uma foto com sua própria câmera fotográfica, querem levar vantagem em tudo, etc etc etc...quem gostou desta cidade que me desculpe, eu não volto mais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma pena sua experiência ter sido ruim. Concordo com alguns pontos apontados, mas acredito que faltou sorte e experiência para sua viagem ter sido melhor.

      Muitas vezes temos expectativas altas que não se concretizam, isso acaba nos frustrando.

      Excluir
  10. Achei bem interessantes os relatos. Pretendo ir algum dia para a Argentina. Vi em um documentário que a Argentina é um dos países que mais sofrem com dinheiro falso, até dinheiro que está no banco pode estar falsificado! E os taxistas são os que mais atuam na troca de moeda falsa!
    Uma outra observação, você disse que o cubierto é a taxa para uso de pratos e talheres e que não está relacionado com o nosso couvert, mas o nosso couvert também existe pelo mesmo motivo. Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Estou em Buenos Aires com meu marido, pai e irmã desde o dia 27/10 e até hoje, dia 31/10, a unica experiência realmente gratificante relacionada à comida foi no restaurante do Jardim Japonês. Não foi barato, mas valeu cada centavo. Nao suportamos mais esses pratos com um corte de carne sem sal e servidos com apenas um acompanhamento.
    Quanto à cidade, ela é muito bonita, organizada, com muitas praças, jardins e com um sistema de transporte público muito eficiente. No entanto, não pretendemos voltar tão cedo... No Brasil, temos destinos mais interessantes...

    ResponderExcluir
  12. Olá, sei que já faz um tempo esse post, mas não pude deixar de comentar..... e olha que raramente comento, zapeio pelos blogs e nunca me manifesto!!!

    Enfim, concordo em gênero, número e grau!!! Estive na Argentina em 2010 para passar minha lua de mel, uma viagem maravilhosa, porém com as mesmas falhas... Não pude conter as risadas ao ler seu post, pois "teriam sido trágicas se não tivessem sido tão cômicas" algumas das situações que enfrentamos na terra de nossos Hermanos.

    O tal de cubierto me deixa aos prantos até hoje e confesso que na época achava que era o mesmo que o nosso couvert.... O atendimento foi em 99% dos casos uma grande, mas uma grande M**** mesmo, desde a Florida, passando pelos hotéis (me hospedei em dois) até os garçons em casas de Tango. Em relação aos temperos e carnes são costumes realmente muito diferentes. Quanto a gorjeta, essa foi uma das situações cômicas que passei, em um taxi havia um aviso mais ou menos assim "las propinas son bien vindas" ou algo assim, logo abaixo sua devida tradução "Gorjetas são bem vindas", foi muito engraçado, já que aqui no Brasil isso é algo que não se pede ao cliente, mas sim o cliente que oferece!!!


    Comentários à parte, a viagem foi maravilhosa, e seus comentários também, sabendo que é um post informativo, pois se nós tivéssemos tido acesso a algo do gênero antes da viagem, talvez não tivéssemos passado por certos apertos!!!

    Mas também não foi nada que não pudesse tornar a experiência ainda mais engraçada, não é mesmo....

    Grata,
    Julia Ferro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei o seu comentário Julia!

      Não importa que o post já tem um tempo. Olha só: eu fui em agosto de 2013 e você foi em 2010 e nossas experiências batem!

      Li novamente o post hoje e cai na risada também! Saudades... Por mais que algumas coisas não corram tão bem quanto gostariam, é gostoso relembrar nossos micos e trágedias... Bem como você disse: "teriam sido trágicas se não tivessem sido tão cômicas".

      Me lembrei de quando fui praticamente extorquido por um garçom para lhe dar gorjeta. Cômico!

      Também adorei Buenos Aires. Pretendo voltar um dia.

      Obrigado por compartilhar sua experiência!

      Excluir
  13. Cheguei hoje de Buenos Aires! Adorei a cidade,muito charmosa ,cheia de parques e lugares bacanas.Nunca vi tantos táxis na minha vida.Quanto a comida concordo com a maioria.É sem gosto,sem tempero e sem sal.Meu marido reclamou o tempo todo da falta do feijão,rsrsrsrrrs.Assistimos a um show de tango ,na Casa de tango Carlos Gardel,em frente ao maravilhoso e gigantesco Shopping Abastos.Foi tudo muito lindo mas como sempre o jantar deixou a desejar.Mas mesmo assim,valeu a pena e pretendo voltar um dia!

    ResponderExcluir
  14. Porto Alegre nao fica atras...

    ResponderExcluir