O famoso Bauru do Ponto Chic

Sabe quando você espera muito de algo e se decepciona? Veja só o meu caso. Fui ao Ponto Chic, restaurante aqui de São Paulo com mais de 90 anos de existência, provar o Bauru, lanche inventado por eles em 1937 e que todos alardeiam como a excelência dos sanduíches. Eu esperava apenas que o lanche fosse uma das sete maravilhas do mundo.

Antes um pouco de história.

Restaurante Ponto Chic

O Ponto Chic foi aberto no Largo do Paiçandu, centro de São Paulo, por Odílio Cecchini em 24 de março de 1922.

Cecchini fazia parte da diretoria da Sociedade Esportiva Palestra Itália. Seu estabelecimento era frequentado por homens da alta sociedade e por muitos anos foi ponto de encontro de torcedores do palmeiras.

E foi lá que Casimiro Pinto Neto criou o sanduíche Bauru.

Casimiro era estudante de direito na Universidade de São Paulo e lá era conhecido pelo apelido de Bauru, em referência a sua cidade natal. Ele era frequentador, assim como outros estudantes de direito, do restaurante Ponto Chic. E em 1937 ele ditou ao garçom a receita de um novo lanche, composto por pão francês sem miolo, rosbife, rodelas de tomate e de pepino, sal, orégano e queijo derretido. O lanche logo se popularizou e ficou conhecido pelo apelido de Casimiro, uma vez que os demais frequentadores solicitavam “um lanche igual ao do Bauru”. Nasceu, assim, o famoso sanduíche Bauru.

O Bauru do Ponto Chic

O Ponto Chic fechou em 1977, por uma ação de despejo (o prédio era alugado) e seu fundador, Cecchini, morreu pouco depois. O braço direito de Cecchini, Antônio Alves de Souza, adquiriu os direitos do nome do restaurante e o reabriu no bairro de Perdizes em 1978. Em 1981, o estabelecimento voltou a existir no Largo do Paiçandu, e abriu nova filial, agora no bairro do Paraíso. O Ponto Chic conta hoje com estas três lojas em São Paulo e uma em Ribeirão Preto.

Já o Bauru tornou-se um sanduíche extremamente popular no Brasil. A receita original de Pinto Neto, foi oficializada pela lei municipal 4314, de 24 de junho de 1998, aprovada pela câmara dos vereadores de Bauru. Ganhou até certificado de autenticidade e site oficial.

E o sanduíche teve outras variações, sendo a mais conhecida a que leva presunto, queijo muçarela, tomate e orégano no pão francês.

Depois desta aula de história, lá fui eu conhecer o famoso Bauru do Ponto Chic. Escolhi a unidade do Paraíso, que fica ao lado do Shopping Pátio Paulista.

Ponto Chic

O ambiente é escuro. As mesas são antigas e o uniforme dos garçons também segue um padrão de outra época. Parece que voltei no tempo. A casa é toda decorada com a história do local, fotos antigas de São Paulo e o Bauru. Sim! Por todos os cantos há fotos do lanche, referências dele na mídia, prêmios, pessoas famosas comendo... Não é a toa que minhas expectativas eram altas.

O famoso bauru do Ponto Chic

O lanche não é barato, custa R$ 19,80. Ele chega em um pratinho dividido ao meio. Chama a atenção a quantidade de queijo, que é bem generosa. O cardápio indica que é uma mistura de queijos fundidos, mas parece ser apenas muçarela.

Na primeira mordida, veio a sensação: é isso? O rosbife e o queijo estavam mornos. O tomate e o pepino mal temperados. O orégano passou longe.  O lanche tem sim seus méritos, principalmente pela generosidade de queijo e maciez do rosbife. É bom, mas não é nenhuma obra prima. E é pequeno! Se você está com fome, um só não será suficiente para lhe saciar.

Terminei de comer e concluí que nem sempre o tradicional anda junto com a excelência. A casa é tradicional por funcionar há tantos anos e o lanche é tradicional por também existir há tanto tempo e, principalmente, por ter toda uma propaganda em torno dele. Mas nenhum dos dois é excelente.

A conta para dois sanduíches e uma lata de refrigerante fechou em R$ 52,00. Bem mais salgada do que o tomate e o pepino do lanche.

O famoso bauru do Ponto Chic

Além de sanduíches, o restaurante Ponto Chic serve diversos tipos de pratos no almoço e jantar todos os dias da semana.

Os tradicionais que me desculpem, mas vou continuar preferindo uma das variações do Bauru, justamente a mais popular, com presunto ao invés do rosbife. Se der vontade faço em casa um "Bauru do Ponto Chic". E pagando bem menos.

Informação

Ponto Chic

Paiçandu - São Paulo
Largo do Paiçandu, 27 (próximo a estação República do Metrô)
Telefone: (11) 3222-6528

Paraíso - São Paulo
Praça Oswaldo Cruz, 26 (próximo a estação Brigadeiro do Metrô)
Telefone: (11) 3289-1480

Perdizes - São Paulo
Largo Pe. Péricles, 139 (próximo a estação Barra Funda do Metrô)
Telefone: (11) 3826-0500

Boulevard - Ribeirão Preto
Rua Conde Afonso Celso, 1405
Telefone: (16) 3620-0149


→ DESCUBRA OUTROS RESTAURANTES

→ Você gosta de economizar? Clique aqui e compre com desconto nas Lojas Americanas!

15 comentários:

  1. Comi duas vezes o bauru do Ponto Chic, as duas vezes tive a mesma impressão da matéria "muita propagada para pouco sabor". Outro ponto negativo é o pudim de leite, nem pensem em experimentar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi exatamente assim que me senti, enganado pela propaganda.

      Excluir
    2. Então... foi a mesma conclusão que tive.
      Agora, a minha próxima aventura será provar o famoso lanche do Estadão... o tal sanduba feito de pernil.
      Só não encontrei o local ainda no google maps.

      Este foi uma decepção... espero que o próximo seja melhor. Muito caro para pouca coisa. Isto que dá expectativa demais... para eu aprender!

      Excluir
  2. bauru pra mim e com pão de forma

    ResponderExcluir
  3. Vem pra bauru comer o legítimo! aí você muda sua opinião certeza!!!

    ResponderExcluir
  4. Meu primeiro emprego de office boy foi em 1980, quando recebi meu "salário" fui comer o bauru do Ponto Chic, que na época para um office boy era extremamente caro, era habitué dos lanches de calabresa da Casa Califórnia da rua São Bento que na época era muito bom. Não,não existia o tal cachorro quente em cada esquina, quando não tinha dinheiro comia o tal "churrasco grego" no centro de SP; Hoje em dia vou pelo menos uma vez por semana ao centro da cidade para comer o bauru e frequento outros ícones da gastronomia paulistana, filé do Moraes, Sujinho, lanche de mortadela, pastel de bacalhau do mercadão e lanche de pernil do estadão. Resumindo SP é the best em gastronomia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. A gastronomia de São Paulo é muito boa e tem muita história. Comer em certos pontos valem mais pelo valor histórico cultural do que pela comida.

      Excluir
  5. Eu recomendo que venha a Bauru e vá no Skinão comer o lanche! O valor será bem menos salgado, estará comendo o lanche tradicional e aposto que terá uma melhor opinião sobre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O dia que eu estiver em Bauru com certeza vou provar. E que fique claro que eu gosto do lanche bauru, só achei que o do Ponto Chic deixou a desejar...

      Excluir
  6. R$ 52.00 'paus' por dois 'sandubas' e uma lata de refri ???
    jesus, maria, josé...QUE FACADA !!! mesmo se o lanche for ótimo, tá caro pakas...

    ResponderExcluir
  7. Comi o mesmo sanduiche no Ponto Chic do Largo do Paissandu. Tive exatamente a mesma impressão que vcs! O lanche é pequeno, quase não se percebe o rosbife, dado a grande quantidade de queijo e o preço é extorsivo! Por um sanduba e um suco de laranja a conta ficou em R$32,00. Muita fumaça e nenhum fogo! Pra pagar caro assim, vou comer o Belísssima no Mercadão. Aí, sim!

    ResponderExcluir
  8. Olá Gabriel! Pela sua descrição do sanduíche (morno) presumo que você solicitou que aquecessem o rosbife... Sugiro repetir a experiência provando a "receita original", com o rosbife frio. Abs,

    ResponderExcluir
  9. Também fui neste restaurante ou lanchonete com preço de restaurante, não dá pra saber bem o que é, o fato é que o lanche de bauru é gostoso sim, porém não vale os 23,00 reais que estão cobrando atualmente nos finais de semana. (Durante a semana é 19,00). Fomos em 3 pessoas sendo uma criança e dois adultos. O pedido foi 2 lanches de bauru e um de frango (File de frango e pão e somente isso) 3 latinhas de coca. R$ 85,00. Não vale a pena.!!!

    ResponderExcluir
  10. É Gerson quando se pega a fama aí ja era pode ser o preço que for que sempre alguem paga , a hora que vi a reportagem pensei bem acho melhor ficar na minha cidade é 6,00 reais o preço do bauru e peço pro rapaz caprichar no lanche e fica melhor e posso até comer uns 3 pelo preço do ponto chiq e mais uma guaranazinho..serve pra conhecer, mas 85 paus a gente demora pra ganhar isso.

    ResponderExcluir
  11. não bauru pra mim tem que ser pão frances e crocante...

    ResponderExcluir